Andrés Sanchez tranquiliza torcida e diz que nome de estádio será vendido

A atrasada venda do nome do estádio de Itaquera, inaugurado há quase um ano, foi assunto após a eleição presidencial do Corinthians. Cabo eleitoral do vencedor Roberto de Andrade, o ex-presidente Andrés Sanchez é o responsável pela arena e, embora irritado com a pergunta, procurou mostrar otimismo.

“Estava todo o mundo esperando a eleição, não estava?”, afirmou, ironizando aqueles que esperavam o anúncio da venda às vésperas do pleito. “Não está fácil. São duas, três empresas trabalhando. O torcedor corintiano pode ficar tranquilo que, em questão de tempo, vai fechar.”

O atual deputado federal não negou que o plano era ter um acerto há pelo menos dois anos. “Está atrasado? Está atrasado. Era para ter fechado antes? Era para ter fechado antes. Mas vai ser muito bem dado o pontapé”, assegurou Andrés, que não tem um cargo formal na nova administração alvinegra.

Roberto de Andrade seguiu essa linha de raciocínio. Projetou um acordo, “se Deus quiser, em um futuro próximo”. A grana é importante porque o Corinthians começará a pagar em julho prestações mensais de R$ 5 milhões ao BNDES pelo financiamento do estádio, que abriu a última Copa do Mundo.

Divulgação/Agência Corinthians

Os R$ 400 milhões esperados por 20 anos de cessão do nome ainda não caíram (foto: Daniel Augusto Jr.)

Não é fácil a situação financeira do clube, com uma dívida acumulada de R$ 313,5 milhões e salários atrasados. A solução? “Trabalho, muito trabalho. Diminuição de despesas e aumento de receitas. Um para cima, outro para baixo, não tem outro jeito”, resumiu o novo presidente.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também