Goleiro Danilo revela reação após desistência do Corinthians: “Assustado”

Após a negociação frustrada com o Corinthians no fim do ano passado, o goleiro Danilo, titular da Chapecoense, acabou tendo seu contrato renovado com o Verdão do Oeste por mais dois anos. Em entrevista à Gazeta Esportiva.net, o arqueiro garantiu que não ficou decepcionado com a não concretização do negócio e revelou seu sentimento depois da desistência do clube alvinegro.

“Não fiquei decepcionado, porque isso é futebol, tem coisas que a gente não entende. É lógico que fiquei assustado, porque trabalhei muito para servir a um grande clube e, não dando certo a negociação com o Corinthians, isso atrapalhou a do Cruzeiro também. Mas Deus sabe o que faz. Vou continuar trabalhando como sempre, sendo profissional e buscar outra oportunidade. Mas, para isso, tenho que estar bem na Chapecoense. Então, tenho que focar aqui no clube que me acolheu, que me levou ao cenário nacional. A Chape abriu as portas para mim, para jogar a Série A e sou grato. Tenho que me dar bem aqui para pensar no meu futuro e ter outra chance.”

O jogador de 29 anos se destacou na Série A do Campeonato Brasileiro de 2014 e, com o término da competição, começou a ser sondado por times de projeção nacional. A disputa final ficou entre Cruzeiro e Corinthians, e o time paulista acabou vencendo. A contratação do goleiro chegou a ser anunciada pela imprensa, mas a assinatura do contrato não se concretizou.

“Não joguei a última rodada do Brasileirão. Então, na segunda-feira após o término do campeonato, já estava em São Paulo para negociar. Só esperaria assinar o contrato para programar minha vida lá. Aguardaria o preto no branco. Teria um tempo, porque me apresentaria no dia 4 ou 5 de janeiro, não me lembro bem, e faria a pré-temporada em Orlando. Ganharia alguns dias para alugar um apartamento, para me acomodar.”

A negociação foi atrapalhada pela disputa presidencial do Corinthians, já que as eleições ocorreriam em cerca de dois meses. O acerto com Danilo estava sendo comandado por Roberto de Andrade – atual presidente alvinegro e, à época, candidato da situação – sem o aval de Mário Gobbi, mandatário no período. Assim que este tomou conhecimento da movimentação, ela foi vetada.

“Não recebi pedido de desculpas do Corinthians. A negociação não foi concretizada pela crise política. Quando não deu certo, logo procurei a Chapecoense, que já queria renovar. Então, não tivemos outro contato, mas não tenho mágoas, são coisas do futebol. Não podemos levar rancor. Ainda mais porque a eleição era em fevereiro, isso atrapalhou. Não podemos julgar ninguém, nem o presidente, nem quem iria assumir. É uma situação delicada, entendo isso.”

Divulgação

O goleiro Danilo teve seu contrato com a Chapecoense renovado por mais dois anos (Foto: Fernando Martinez/ Aguante Comunicação)

O goleiro ainda comentou se, depois do episódio, iria para o Timão caso tivesse outra oportunidade. “Teria que pensar. Meu contrato aqui na Chapecoense é de dois anos. Não está mais fácil como estava, porque eu estava livre quando o Corinthians quis, iria praticamente de graça. Agora, a situação é diferente. Mas, se tivesse a oportunidade, iria sim, sem mágoas.”

Apesar de estar satisfeito na Chapecoense, Danilo admitiu que tem o desejo de atuar por uma equipe de maior tradição nacional. “Qualquer profissional, de qualquer área, sonha em trabalhar numa grande empresa, num grande clube. Não que a Chapecoense não seja assim, mas a gente sonha em jogar uma Libertadores e disputar títulos nacionais. Porém, estou muito feliz aqui, renovei meu contrato por dois anos, espero cumpri-los e dar muitas alegrias para os torcedores, porque um dos motivos de eu ter renovado é o carinho que eu tenho por eles. Sou muito feliz aqui, é importante estar em um lugar que você gosta.”

O arqueiro acumula passagens, além da Chape, por Cianorte (PR), Engenheiro Beltrão (PR), Nacional (PR), Paranavaí (PR), Operário Ferroviário (PR), Arapongas (PR) e Londrina (PR). Sua estreia pela Verdão do Oeste ocorreu durante a disputa da Série B de 2013, quando a equipe conquistou o acesso à primeira divisão. Em 54 jogos pelo time catarinense, foram 49 gols sofridos.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também