Haddad nega culpa em polêmica dos CIDs da Arena: “Cumprimos a lei”

Passado o furor da novidade, o Corinthians acaba por ter um problema em mãos com a Arena recém-inaugurada em Itaquera. O clube reclama da omissão da Prefeitura Municipal de São Paulo por não conseguir vender os CIDs – certificados liberados pelo poder público para o Timão vender e lucrar R$ 420 milhões que serviriam para pagar a construção do estádio. Mas o prefeito Fernando Haddad nega qualquer responsabilidade no caso.

“Nós vemos essa situação com preocupação, porque cumprimos rigorosamente a lei que foi aprovada na administração anterior. Cumprimos exatamente a legislação”, esclarece Haddad à rádio Bandeirantes, referindo-se à lei 288/2011, que trata da concessão de incentivos ao estádio corintiano por conta da abertura da Copa do Mundo de 2014. “A prefeitura não dá dinheiro, dá um título chamado CID. O Corinthians é que tem que vender para um contribuinte pagar seus tributos”, explica.

Nos últimos dias o Timão tem questionado a Prefeitura por não encontrar interessados na compra dos CIDs. A tentativa do clube seria fazer o poder público recomprar os certificados ou pressionar o Ministério Público a desistir da ação judicial que questiona a lei 288/2011 – o processo do MP-SP afasta possíveis investidores do Alvinegro. O prefeito, porém, está irredutível por entender que tal procedimento é ilegal.

“Emitimos 420 milhões de títulos, sendo que os últimos 15 milhões foram emitidos nesta semana, então completamos o total. Agora, por que o Corinthians não consegue vender os títulos? Existe uma ação judicial contestando a lei, aí o contribuinte fica com medo de investir”, resume Haddad.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Timão tenta achar solução para negociar R$ 420 mi em certificados para assim pagar estádio em dia

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também