Com comprometimento, Edílson considera viável formação ofensiva

O lateral direito Edílson aprovou a formação ofensiva que o técnico Tite testou no treinamento da tarde desta quarta-feira, no CT Joaquim Grava. Titular contra o Figueirense na partida de sábado, já que Fagner cumprirá suspensão, o jogador só pediu comprometimento de seus companheiros de Corinthians na marcação.

“Desde que todos tenham um papel defensivo importante, dá para jogar assim, sem dúvida. Independentemente da formação, precisamos ter uma aplicação tática muito boa”, comentou Edílson, para quem o treinamento foi proveitoso. “Deu certo. Conseguimos conter bastante a bola. Espero que a gente tenha essa qualidade no dia do jogo.”

No dia do treino, Tite apostou na seguinte equipe: Cássio; Edílson, Felipe, Gil e Uendel; Marciel, Jadson e Renato Augusto; Luciano, Vagner Love e Malcom. Além de Fagner, Ralf também ficará fora do jogo com o Figueirense por suspensão. Na zaga, Felipe ganhou o lugar de Edu Dracena, contestado em suas últimas atuações.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Edílson acha que Marciel tem condições de dar suporte à formação ofensiva que Tite testou no Corinthians

Caso esse time seja mantido, o jovem volante Marciel ficará sobrecarregado na contenção do meio-campo corintiano. Será apenas o primeiro jogo como profissional da revelação do clube, destaque na conquista da última Copa São Paulo, porém Edílson confia em seu potencial.

“O Marciel é um volante canhoto, de boa saída de bola. Já está aqui há um tempinho. É de Porto Alegre, então sempre converso com ele”, contou Edílson, paranaense de Nova Esperança, mas com passagem pelo Grêmio. “Posso falar muito bem do Marciel. Vai render frutos ao Corinthians. É preciso ser passo a passo, sem jogar a responsabilidade em cima do guri”, acrescentou.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também