Emerson ganha homenagem discreta, agradece e se diz triste por adeus

De saída do Corinthians, Emerson foi homenageado pelo clube antes da partida contra o Internacional, na tarde de sábado, em Itaquera. Foi uma cerimônia discreta, com pouco mais de meia hora de antecedência em relação ao jogo, e houve no estádio quem nem percebesse o atacante em campo.

Quando entraram no gramado para o aquecimento, os atletas alvinegros formaram um corredor e aplaudiram a entrada do agora ex-companheiro. Ele cumprimentou cada um, parando para um abraço caloroso no técnico Tite, e recebeu uma placa do presidente Roberto de Andrade.

“O Sport Club Corinthians Paulista agradece o jogador Emerson Sheik pela brilhante história construída com o manto alvinegro. Entre os mais de 150 jogos disputados, alguns, como a final da Copa Libertadores de 2012, ficarão eternamente em nossos corações. Obrigado, Sheik!”, diz o texto gravado na placa.

A entrega aconteceu em um momento em que a arena da zona leste de São Paulo ainda não tinha muitos torcedores. O barulho ensurdecedor do sistema de som, com uma música que acompanhava gols de Emerson nos telões, acabou por atrapalhar a cerimônia, que gerou um agradecimento do atacante.

Djalma Vassão/Gazeta Press

Campeão de quase tudo em preto e branco, Emerson gostou do reconhecimento do clube do Parque São Jorge

“Atendi todos os pedidos do Tite para sair pela porta da frente. A cultura precisa mudar, os clubes precisam respeitar os atletas que permaneceram por um período maior, que marcaram a história do clube. A diretoria do Corinthians mostrou isso hoje, essa capacidade de entender tudo isso”, afirmou.

Grato pela homenagem, o Sheik disse estar “triste por estar indo embora”. A caminho do Flamengo, ele deixa o clube com 157 partidas e 27 gols marcados, dois deles especialmente históricos. Além da Copa Libertadores na qual foi herói, ele conquistou em preto e branco um Campeonato Paulista, um Campeonato Brasileiro, uma Recopa Sul-Americana e um Mundial.

Exceção feita à Recopa, Emerson teve como companheiro decisivo nessas conquistas o atacante Jorge Henrique, que hoje defende o Internacional e teve o nome gritado pelos corintianos no aquecimento. Já Nilmar, campeão brasileiro de 2005 com o Corinthians, foi xingado.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também