Gravação revela Grondona celebrando ‘reforço de Amarilla’ ao Boca em 2013

A eliminação do Corinthians na Copa Libertadores de 2013 deu o que falar na ocasião pela contestada arbitragem do Carlos Amarilla. Dois anos depois, uma escuta telefônica indica que o homem mais poderoso do futebol argentino à época, Julio Grondona, era bastante simpático ao árbitro paraguaio.

“Deu tudo certo, afinal. O maior reforço do Boca Juniors no último ano foi Amarilla”, diz Grondona dois dias depois do empate em 1 a 1 que garantiu o time argentino nas quartas de final da Libertadores de 2013. A referência ao “último ano” é incerta, visto que a única partida do Boca em que Amarilla atuou na edição anterior foi a derrota para o Fluminense na Bombonera, ainda na fase de grupos, por 2 a 1.

De qualquer forma, as risadas do então presidente da Associação de Futebol Argentino (AFA) ao tratar da atuação de Grondona é suspeita. Amarilla deixou de marcar pênalti claro a favor do Corinthians e anulou gol legal de Romarinho quando a partida com o Boca Juniors ainda estava 0 a 0.

Na conversa revelada pela TV America, o presidente da Comissão de Árbitros da AFA, Abnel Gnecco reproduz a conversa que teve com um representante da Conmebol. “Querem Amarilla aí na Argentina? Bem, se querem, então o coloco e deixam de me encher o saco”, teria dito Carlos Alarcón, presidente da Comissão de Arbitragem da entidade continental.

AFP

Ex-presidente da AFA poderia ter influenciado escalação de Amarilla em Timão x Boca (Foto: Juan Mabromata)

Gnecco ainda revela que pediu o árbitro argentino. “Coloque Amarilla e pare de me f…”, disse a Alarcón, que acatou. “Assim foi. Escolhi ele e saiu tudo ótimo, porque é assim que tem que ser”, finaliza Gnecco pouco antes de escolher com Grondona os árbitros responsáveis por apitar Boca Juniors e Newell’s Old Boys na fase seguinte daquela Libertadores.

Em meio a escândalos de corrupção que envolvem cartolas, Grondona poderia ficar sob investigação. Mas ele faleceu devido a problemas cardíacos no último ano, deixando a presidência da AFA para seu filho.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também

  • Carlos Cesar Souza

    Foi preciso prender uma ruma de dirigentes, para que as coisas ruins começassem a aparecer, a caixa preta foi aberta, vem mais por aí. E nesse jogo se a múmia paralítica tivesse feito o gol lembram? “eram salvo engano 30 minutos do segundo tempo o Corinthians acuava o Boca, Gil deu um balão para a área, Guerrero tocou de cabeça e Pato a múmia paralítica, sozinho, na frente do gol, furou e desperdiçou uma chance incrível para o timão” Lembram? dois anos depois é descoberto a bandalheira da arbitragem e a mala sem alça leva o Corinthians a justiça cobrando dinheiro do Corinthians, quando ele e o ex Presidente deveriam restituir os 40.000.000,00 que levou nosso time a quase falência. O Ministério Público a exemplo do espanhol deveria passar isso a limpo. Corinthians é uma entidade de utilidade pública, ou não? quanto ao Amarilla se o FBI apertar ele “canta”.