Guerrero quer outro sucesso na Copa América por artilharia do Peru

De saída do Corinthians e já acertado com o Flamengo, o atacante Paolo Guerrero agora foca na disputa da Copa América pelo Peru. O jogador – artilheiro da competição em 2011, com cinco gols – mira repetir o feito, se igualar a Cubillas, ídolo peruano, e se tornar um dos maiores goleadores de sua seleção.

“Um dos meus maiores objetivos pela seleção é fazer gols, isso é minha motivação. Mas o principal é o grupo, trabalho pela equipe, ainda que ser artilheiro seja fundamental para mim”, afirmou ao Depor.pe.

O atleta é o destaque do Peru e a aposta do técnico Ricardo Gareca nesta Copa América. Na edição de 2011, a seleção ficou com o terceiro lugar, amparada pelo atacante, artilheiro do torneio com cinco gols. Ele ainda comentou sobre suas expectativas para a competição deste ano, que será disputada no Chile.

“Queremos nos fortalecer para o que vem pela frente (as eliminatórias para a Copa da Rússia). Desta vez, não temos a mesma confiança da torcida. Por um lado, isso nos deixa menos pressionados, mas temos que nos esforçar muito em campo”, explicou.

AFP

O peruano Paolo Guerrero foi artilheiro da Copa América de 2011, com cinco gols marcados (Foto: Ronaldo Schemidt)

O Peru estreia na Copa América justamente contra o Brasil. A partida está marcada para o dia 14 de junho, às 18h30 (de Brasília), em Temuco, no Chile. Guerrero sabe das dificuldades da partida, mas não descarta um bom resultado de sua seleção.

“Em 2011, não davam nada pela gente e chegamos ao terceiro lugar. Hoje, o importante é trabalhar bem, fazer uma boa preparação para a estreia contra o Brasil. Será complicado, mas, com concentração e jogando de igual para igual, podemos fazer um grande jogo. Esperamos começar bem”, declarou.

O técnico Ricardo Gareca também já teve passagem pelo futebol brasileiro. O argentino comandou o Palmeiras de maio até junho do ano passado. Em março de 2015, assumiu a o Peru. Guerrero falou sobre o trabalho do treinador na seleção.

“Ele chegou aqui há dois meses e acredito que ainda nos falta futebol. Por isso, os trabalhos táticos que estamos fazendo vão nos ajudar muito na Copa América. Mas ainda temos que nos conhecer mais para ter uma ideia do que ele quer”, concluiu.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também