Livre de lesões, Renato Augusto chega orgulhoso aos cem jogos pelo Timão

Renato Augusto recebeu de uma sócia-torcedora a camisa 100 do Corinthians, referência ao número de partidas disputadas em preto e branco. O meio-campista atingirá a marca no sábado, contra o Santos, livre dos frequentes problemas físicos que já atrapalharam bastante sua carreira.

“Minha última lesão, se não me engano, foi em 2013. Perdi alguns jogos, mas por pancada, coisa pequena. Minha última lesão muscular tem mais de dois anos. Isso prova que o trabalho que fiz aqui é muito bom. Agradeço aos profissionais, são os grandes responsáveis por eu estar chegando a essa marca”, afirmou.

Grato aos médicos e fisioterapeutas alvinegros, Renato se mostrou orgulhoso pelo número de jogos. “Tive momentos felizes, outros nem tanto, mas acho que é uma honra chegar a uma marca como esse, em um clube com muita cobrança, muita responsabilidade. Espero vestir essa camisa cada vez mais.”

Djalma Vassão/Gazeta Press

O meia Renato Augusto requer cuidados especiais, mas tem se mantido livre de problemas físicos

O carioca chegou ao Corinthians no início de 2013, logo após a conquista pelo clube do Mundial. Em seu primeiro ano, ainda com muitos problemas físicos, ganhou o Campeonato Paulista e a Recopa Sul-Americana, sendo decisivo na segunda. Não houve títulos de lá para cá, mas as lesões deram um tempo.

“Acho que foram mais alegrias do que tristezas. Sem dúvida, a maior alegria foi o jogo da Recopa, em que fiz o gol (encobrindo Rogério Ceni, do São Paulo). Por ser clássico, por ser no Morumbi, por ser um momento em que eu precisava jogar bem. Entrei e fiz o gol da vitória”, comentou.

Nas duas edições da Copa Libertadores que disputou pelo Corinthians, Renato Augusto não foi tão feliz. “Acho que as eliminações na Libertadores foram os pontos baixos. Tanto essa agora, contra o Guaraní, quanto aquela do Boca Juniors, em 2013. Foram momentos muito ruins.”

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também