Seis detidos no Derby farão “serviços comunitários” por três meses

Além da vitória palmeirense, o saldo final do Derby disputado em Itaquera no último domingo foi de seis pessoas detidas. Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP-SP), seis delas foram julgadas dentro da própria arena corintiana, assim conhecendo suas penas imediatamente após cometerem as respectivas infrações.

Cinco dos presos são cambistas e o outro é um torcedor do Corinthians. Eles foram autuados e julgados em uma base móvel da Polícia Civil, tendo que começar a prestar serviços comunitários no Centro de Reabilitação Lucy Montoro, no Instituto Médico Legal (IML) ou no Corpo de Bombeiros. A pena é de três meses, sendo contabilizada por seis horas nos dias em que o time vai a campo.

No caso do corintiano, por exemplo, a punição vale a partir desta quarta-feira. Ele deve se apresentar duas horas antes da partida entre Grêmio x Corinthians, portanto às 20 horas (de Brasília), e só sair duas horas depois, já na madrugada de quinta. A Secretaria de Segurança Pública não detalha a pena dos cambistas.

Outras cinco pessoas foram detidos, dois cambistas e três corintianos. Um dos torcedores não quis ser autuado pelo Estatuto do Torcedor e por isso serão processados, enquanto os outros dois foram flagrados atirando objetos em campo e responderão por isso em tribunal.

A operação da Secretaria de Segurança Pública é novidade no âmbito esportivo. A promessa é que a base móvel nos estádios daqui para frente tenha um procurador e um juiz, que se debruçarão sobre as autuações assim que estas acontecerem.

Divulgação

Ônibus que funciona como delegacia ‘estreou’ com bastante trabalho no clássico paulista (Foto: Rafael Iglesias)

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também