Suspeito de manipular resultado em 2013, Amarilla é afastado no Paraguai

Reveladas nesta segunda-feira, escutas telefônicas do ex-presidente da Associação do Futebol Argentino (AFA), Julio Grondona, estão repercutindo fortemente no futebol sul-americano. Citado como pelo falecido dirigente como “reforço” do Boca Juniors em 2013 – possivelmente nas polêmicas oitavas de final da Libertadores contra o Corinthians, o árbitro Carlos Amarilla foi afastado pela Associação Paraguaia de Futebol. Os assistentes Rodney Aquino e Carlos Cáceres, que trabalharam no duelo realizado no Pacaembu, também foram suspensos pela entidade.

A Comissão de Árbitros da APF considerou o conteúdo das escutas, reveladas pela TV América, suficientes para o afastamento do trio até que a situação seja devidamente apurada. Assim, a princípio eles não poderão participar das primeiras partidas do torneio Clausura do Paraguai, a ser iniciado no mês de julho.

Falecido em julho de 2014, Grondona conversa no áudio com Abel Gnecco, representante da comissão de árbitros da Argentina. Enquanto o ex-presidente da AFA celebra atuação de Amarilla, o segundo diz ter garantido sua escalação para uma partida que, acredita-se, é o fatídico duelo entre Corinthians e Boca.

Questionado a respeito da situação, Carlos Amarilla negou ter manipulado o resultado da partida de 2013, na qual deixou de marcar dois pênaltis e anulou dois gols alvinegros, resultando na eliminação do clube paulista. Ele se disse chocado com a notícia e criticou as “palavras sujas de dirigentes corruptos” que, para ele, estragam o futebol.

Reprodução/Site Oficial

O Comunicado da APF inicialmente não incluía o nome de Carlos Cáceres, mas ele também está afastado

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também