Tite refugia o Corinthians no Sul, mas nega sentir medo de Itaquera

O Corinthians tentará reencontrar a paz longe de São Paulo. Tite e os seus jogadores enfrentarão o Grêmio em Porto Alegre na noite desta quarta-feira e, de lá, seguirão direto para Santa Catarina, onde haverá compromisso com o Joinville no sábado. Segundo o treinador, por questão de logística, e não por receio de mais cobranças de torcedores na capital paulista.

“Teríamos 72 horas para retornar a São Paulo e ir para o Sul novamente. Perderíamos tempo de treinamento assim. O mais racional é fazer Porto Alegre-Joinville”, comentou o gaúcho Tite.

Seja como for, o Corinthians não vence uma partida em seu estádio desde 11 de abril, quando ganhou por 1 a 0 da Ponte Preta, ainda pelas quartas de final do Campeonato Paulista. Eliminado do torneio em casa pelo Palmeiras, que voltou a ganhar em Itaquera no domingo, o time também caiu na Zona Leste diante do paraguaio Guaraní, pela Copa Libertadores da América.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press

Técnico corintiano não voltará a pisar em São Paulo nesta semana por questão de logística

“Quero jogar na arena todos os jogos!”, bradou o destemido Tite. “Preciso ter a capacidade de encontrar o ponto de equilíbrio emocional dentro de casa. É doendo, cortando a carne, que você amadurece. Não existe teoria no futebol”, acrescentou.

Apesar do discurso, o técnico já admitiu que está incomodado com alguns excessos em manifestações de torcedores organizados. No domingo, alguns ameaçaram invadir o vestiário da equipe em Itaquera após a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras – a mais elástica já sofrida no estádio.

Antes das quedas diante de Palmeiras e Guaraní, Itaquera se consolidava como uma fortaleza do Corinthians. O time (então dirigido por Mano Menezes) só havia perdido lá uma vez, justamente em sua estreia – 1 a 0 para o Figueirense.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também