Corinthians cita aposta em contra-ataque e vê justiça em vitória magra

O Corinthians saiu do campo de Itaquera satisfeito por ter mostrado que soube enfrentar o líder do Campeonato Brasileiro. Para vencer o Atlético-MG por 1 a 0 e igualar a pontuação do primeiro colocado, o time aproveitou o gol marcado por Malcom, no fim do primeiro tempo, e esperou o adversário subir para aproveitar contra-ataques. Único quesito que faltou na noite deste sábado, na avalição dos comandados de Tite.

“Pelo primeiro tempo que fizemos, o Atlético veio muito para frente, principalmente por estar perdendo, liberando os dois laterais e os dois volantes. Tivemos a oportunidade de aproveitar isso para matar o jogo em um contra-ataque. Só poderíamos ter definido o jogo um pouco antes”, comentou Renato Augusto, minimizando a pressão rival nos minutos finais.

“Quando você está vencendo e se propõe a jogar no contra-ataque, não quer dizer que está jogando mal. Basta saber o que quer para o jogo. Se encaixássemos um contra-ataque, falariam que fizemos um grande jogo. Quem abre o placar, tem o direito de segurar um pouco mais. Foi o que fizemos, por isso merecemos vencer”, definiu o meia.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Sistema defensivo corintiano deu certo diante do melhor ataque do Campeonato Brasileiro nesta noite

Nessa estratégia, Walter, substituto do lesionado Cássio, precisou fazer duas grandes defesas nos acréscimos e, ao longo do segundo tempo, viu Giovanni Augusto acertar a sua trave em cobrança de falta. Mas mesmo o goleiro entende a estratégia de Tite, valorizando a capacidade ofensiva do Atlético-MG.

“Impusemos um ritmo muito forte no primeiro tempo e também começamos o segundo tempo assim. O rendimento caiu porque tivemos que trazer o Atlético para o nosso campo para explorarmos os contra-ataques. O Atlético veio para cima e, sendo o melhor ataque, sabíamos que seria difícil. Mas fizemos bem a nossa parte”, comemorou Walter.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também