Em seu retorno a Itaquera, carrasco ouve apelos de amigos corintianos

A próxima partida do Atlético-MG será especial para o meia Giovanni Augusto. Não porque o líder do Campeonato Brasileiro visitará um dos seus concorrentes diretos na disputa pelo título, o Corinthians. Foi em Itaquera, mesmo local do compromisso da noite deste sábado, que ele entrou na história do clube adversário. Como carrasco.

Então emprestado ao Figueirense, Giovanni Augusto recebeu uma assistência do lado direito da área corintiana aos dois minutos do segundo tempo do primeiro jogo oficial do estádio da Zona Leste de São Paulo, em 18 de maio do ano passado. Sem titubear, ajeitou a bola e chutou rasteiro e cruzado para inaugurar o placar e a rede, fazendo a tristeza de milhões de torcedores. Entre eles, muitos familiares e amigos.

“Agora, como estou voltando para o estádio do Corinthians, o pessoal mais próximo já começou a me mandar mensagens e pedir para não fazer mais gols, para não acabar com a graça deles. É tudo na brincadeira”, contou Giovanni Augusto, em conversa por telefone, levando a sério a missão de ampliar a fama de algoz. “Respeito muito o Corinthians, mas espero ser abençoado novamente com um gol. A minha vontade é bem grande”, avisou.

Divulgação

Feliz no Atlético-MG, Giovanni Augusto não deixa de sonhar com gols a favor do Corinthians em Itaquera

O meia do Atlético-MG chegou a observar que já está familiarizado com os atalhos do gramado adversário. Para temor dos seus amigos. “Eles brincam que seria mais fácil se eu jogasse a favor do Corinthians, que ficaria mais bonito. Mas, enquanto isso não acontece, vou ter que fazer gols contra o Corinthians mesmo. Quem sabe assim não consigo chamar a atenção para marcar a favor no futuro?”, sorriu.

O anseio de Giovanni Augusto de defender o Corinthians não é uma novidade. Natural de Belém, o meia de 25 anos já falava com carinho sobre o clube paulista quando estava no Figueirense. Ele foi revelado pelo próprio Atlético-MG, em 2010, mas não havia se firmado até então. Rodou por Náutico, Grêmio Barueri, Criciúma e ABC antes de voltar a atrair o interesse do time mineiro como carrasco corintiano.

Com contrato prorrogado com o Atlético-MG até maio de 2018, Giovanni Augusto tem consciência de que atuar como mandante em Itaquera ainda é um objetivo distante. “Mas todo jogador deseja defender o Corinthians. É um time grande, de muita torcida”, elogiou, antes de se preocupar em fazer média também com o seu clube atual. “Não sei o dia de amanhã. Quem sabe, não é? Hoje, estou muito feliz no Atlético, outra equipe de massa.”

A felicidade de Giovanni Augusto tem motivo. Com gols marcados nas vitórias sobre Ponte Preta e Sport, nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, ele acredita que alcançou o seu melhor momento profissional. “Eu me sinto bem em Belo Horizonte, onde tenho muitos amigos, e venho em uma sequência boa com a camisa do Atlético. Se continuar marcando gols importantes, quem sabe não possa entrar na história do clube um dia?”, sonhou.

Divulgação

Meia (o último na foto) celebrou bastante o gol que o colocou na história do próximo adversário do Atlético-MG

O jogador já percebeu que os seus sonhos são palpáveis, sejam relacionados ao Atlético-MG ou ao Corinthians. Em 2014, antes de conhecer Itaquera, ele visualizou o gol que marcaria no estádio enquanto estava dormindo. “Eu estava pensando tanto no jogo que acabei sonhando com isso. Virou realidade. Mas, desta vez, não sonhei com nada”, disse, quase tranquilizando os seus amigos corintianos. “Isso não muda a minha intenção de ser abençoado com outro gol”, ressalvou.

Para ser bem-sucedido, Giovanni Augusto precisará superar a defesa menos vazada do Campeonato Brasileiro, com apenas oito gols sofridos – o Atlético-MG possui o ataque mais efetivo, com 28 marcados. “A equipe do Corinthians se parece muito com a nossa. Vamos buscar a vitória para nos garantir na liderança, mas tem tudo para ser um grande jogo, difícil. Tenho certeza de que quem vai ganhar são os torcedores”, concluiu o carrasco, sentindo-se pronto para fazer a alegria de só uma torcida alvinegra no sábado. Aquela dos seus amigos de Minas Gerais.

Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também