Corinthians se vê atrasado no planejamento e refém da China

O Corinthians conquistou o Campeonato Brasileiro com três rodadas de antecedência e se viu bem à frente dos rivais no que se referia a 2016. A um dia da reapresentação do elenco, a situação não é exatamente a que imaginava a diretoria alvinegra há um ou dois meses. Um dos motivos é a China.

O mercado asiático surpreendeu ao levar Jadson sem negociação, pagando a multa rescisória do atleta de 32 anos. E segue como uma ameaça constante, com dinheiro sendo balançado na direção de Elias e Renato Augusto, os outros dois pilares do avassalador meio de campo preto e branco.

O que os chineses ainda não fizeram, para desespero dos dirigentes do Parque São Jorge, foi convencer Alexandre Pato a cruzar o mundo. Vender o atacante, que passou as duas últimas temporadas emprestado ao São Paulo, é a esperança para dar alívio ao caixa.

Enquanto não resolve a situação dos jogadores que podem sair, o Corinthians se vê atrasado ao que imaginava na busca por reforços. A agremiação acertou apenas com o meia-atacante Marlone, ex-Sport, e com o meia Alan Mineiro, destaque do Bragantino na Série B do Campeonato Brasileiro.

A2858F94920 1024x683 Corinthians se vê atrasado no planejamento e refém da China
Marlone assinou contrato de quatro anos com o Corinthians (foto: Agência Corinthians)

A equipe também encaminhou um pré-contrato com André, atleta do Atlético-MG até o meio de 2016, e espera antecipar a chegada do centroavante. O que já está claro, na véspera da chegada dos atletas para a temporada, é que o grupo está longe do que se desenhava na conquista do hexa.


Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também