Colegas defendem Bruno Henrique em fase negativa no Corinthians

A saída de Ralf não foi a mais lamentada no Corinthians, no final do ano, porque a comissão técnica via em Bruno Henrique um substituto de qualidade. O paranaense já tinha ganhado a posição do cão de guarda ao longo do Campeonato Brasileiro e só a perdeu por causa de uma contusão mais séria. Mas ele não vem bem.

A derrota por 3 a 2 para o Cerro Porteño ampliou as críticas em relação ao volante – que nunca teve a pretensão de dar a mesma proteção à defesa oferecida por Ralf, mas também não tem mostrado sua habitual qualidade com a bola no pé. Com os questionamentos, apareceu a esperada defesa dos companheiros.

“Não acredito que seja esse o problema. Perdemos duas partidas, e já estão vendo mil problemas. É normal a oscilação, o grupo está buscando entrosamento”, afirmou Edílson, recordando que Ralf foi só um dos seis titulares a sair no desmanche que sucedeu a tranquila conquista do Campeonato Brasileiro.

“O Ralf tinha muita importância no grupo, mas o Bruno Henrique vem jogando muito bem, vem dando conta do recado. Mesmo sendo um segundo volante de origem, ele marca muito e está fazendo a função muito bem. O grupo está satisfeito com o que ele vem produzindo”, acrescentou o lateral direito.

A2944F98003 1024x683 Colegas defendem Bruno Henrique em fase negativa no Corinthians
O bom Bruno Henrique não vive seu melhor momento no Corinthians (foto: Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians)

Não há uma alternativa real ao camisa 25. Willians foi contratado justamente para ser cabeça de área, mas Tite rapidamente percebeu que, por mais dificuldade que ele tenha com a bola, isso não significa que seja primeiro volante. O ex-cruzeirense é um segundo volante de baixa qualidade técnica.

A esperança, então, é apostar na recuperação de Bruno, que já mostrou um ótimo futebol. “Quando acontece a derrota, tem que filtrar em alguém. É um problema que acaba acontecendo, é normal, é notícia também. Mas o Bruno está bem. Ele dá qualidade no passe, o Ralf tinha menos. Dá para tocar a bola, fazer ela girar. Ele está se adaptando”, disse o goleiro Walter.


Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também