CPI quer cópia de inquérito sobre agressão e presença da FPF

00852138 CPI quer cópia de inquérito sobre agressão e presença da FPF
Sessão da CPI que discutiu sobre Diguinho aprovou pedido por inquérito policial (Foto:Sergio Barzaghi/Gazeta Press)

A CPI das Torcidas Organizadas, que nesta quinta se reuniu para, além de discutir eventuais soluções para o problema da violência, tratar do mais recente caso de agressão no futebol paulista, envolvendo o presidente da Gaviões da Fiel, admitiu que tomará partido das investigações.

Após receber o presidente das principais torcidas dos quatro grandes de São Paulo em sessão na Câmara Municipal de São Paulo, o vereador Laércio Benko (PHS), que preside a CPI, admitiu que o próximo passo da comissão – com data para terminar em maio – será adquirir uma cópia do inquérito sobre a agressão a Diguinho, que esteve presente na reunião.

Desde o dia 2 de março, quando o episódio envolvendo os representantes da Gaviões da Fiel aconteceu próximo ao Fórum da Barra Funda, a Polícia Civil vem investigando o caso tendo como principal linha de acusação a atuação de torcidas organizadas rivais na emboscada. No entanto, os principais líderes admitem que a retaliação não partiu da rivalidade.

Além de requerer uma cópia do inquérito para análise e posterior arquivamento, o presidente da CPI deve seguir com seu plano de convocar os presidentes de Palmeiras, São Paulo, Santos e Corinthians para discutir a relação com as torcidas.

Além dos mandatários, o chefe da Federação Paulista de Futebol – que segundo a CPI é completamente ausente no que diz respeito às torcidas -, Reinaldo Carneiro Bastos, também deve ser convidado a comparecer à discussão, assim como, eventualmente, membros do 2º Batalhão de Choque da Polícia Militar.

*especial para Gazeta Esportiva


Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também