Misto do Timão vence Botafogo e retoma liderança geral do Paulista

timaoMAT2 fernandocalzzaniGP1 Misto do Timão vence Botafogo e retoma liderança geral do Paulista
Após dois tropeços, Corinthians voltou a vencer e ganhou ânimo para jogo da Libertadores (Foto:Fernando Calzzani/Gazeta Press)

A falta de entrosamento não foi problema diante do time misto que foi a campo neste domingo para representar o Corinthians contra o Botafogo. Com sete mudanças em relação à última formação, a equipe venceu por 2 a 0, com gols de Felipe e Danilo, e reencontrou as vitórias após dois tropeços seguidos. O resultado positivo, por sua vez, recolocou o time na liderança geral da competição com 20 pontos.

Visando o confronto contra o Cerro Porteño, em Itaquera, na quarta-feira, Tite preservou titulares como Cássio, Fagner, Yago e Lucca para testar outras peças. Escalado para revezar com Luciano na função de avante, o meia Danilo conseguiu deixar sua marca no início do segundo tempo, aumentando a vantagem alvinegra no Santa Cruz.

Após entrar em campo sem riscos de perder a liderança no Grupo D, já que o Red Bull parou nos 16 pontos, o time do Corinthians retomou o posto de melhor campanha no Paulistão com 20 pontos conquistados, dois a mais que o Santos, e seis vitórias em nove jogos.

Na próxima rodada, o Timão, com a classificação já encaminhada, recebe o Linense e o Botafogo, que disputa a cada rodada para se distanciar da zona de rebaixamento, visita o Água Santa.

O jogo – O Corinthians voltou ao estádio em que foi campeão estadual em 1995 e 2001 para recuperar a confiança após dois tropeços seguidos. Apesar da formação mista, a equipe apostou na posse de bola nos minutos iniciais para tentar abrir o esquema adversário.

As primeiras investidas do Alvinegro à frente foram pelos lados do campo. Tanto pela direita, com Edílson e Giovanni Augusto trocando passes, e pela esquerda, com Uendel, o Timão ia ao ataque com facilidade. Escalado na frente, Luciano alternava de posição com Danilo e recuava para trabalhar a bola.

Em duas oportunidades, Guilherme só não marcou de cabeça porque Neneca evitou. Na primeira, o goleiro defendeu no susto e, na segunda, esticou-se ao máximo para mandar a bola para escanteio. Giovanni Augusto, cobrando falta, foi outro que exigiu do camisa 1 uma defesa providencial.

Mas o reflexo do goleiro do Botafogo não estava apurado o suficiente para, aos 17 minutos, defender a bomba de Felipe. Após cruzamento de Edilson, o zagueiro desviou de cabeça e, após rebatida da zaga, chutou forte para colocar a bola no ângulo em seu 100º jogo com a camisa do Corinthians. No lance anterior, o Timão já tinha mandado a bola na trave.

O Botafogo conseguiu ameaçar em dois lances isolados a partir de contragolpes. No primeiro, a zaga conseguiu se recompor a tempo de interceptar o lance, mas, no segundo, foi Walter quem praticou a defesa no chute de Alemão e evitou maiores complicações. O Timão ainda fez Neneca trabalhar em duas outras chances, após uma cobrança de falta e num lançamento de longa distância.

A torcida alvinegra, maioria no estádio Santa Cruz, chegou a reclamar pênalti em Giovanni Augusto na marca dos 40 minutos. Após troca de passes rápida na intermediária, a bola sobrou para o meia, que armou o chute já dentro da área e escorregou por conta do campo molhado, perdendo chance de ampliar cara a cara com o goleiro.

Sem alterações, o Corinthians voltou a campo e logo aos três minutos ampliou a vantagem. Em nova falta perto da área, Uendel cobrou na cabeça de Danilo, que em sua 323ª partida pelo Corinthians, marcou o segundo gol em 2016. Revezando com Luciano na função de falso 9, o meia deixou sua marca ao desviar na primeira trave.

Com dois gols atrás do placar, o Botafogo passou a agredir mais no segundo tempo. Usando as laterais do campo, a equipe do interior abusava dos passes em profundidade para fazer jogadas de linha de fundo. Em uma das infiltrações do ataque, Alemão recebeu a bola em condição e, ao invadir a área, acabou travado por Balbuena, que se recuperou a tempo e impediu a conclusão.

Diante das investidas do Botafogo, o Corinthians passou a jogar no contra-ataque para aproveitar os espaços. Após lançamento longo, Giovanni Augusto ganhou da marcação na corrida e cruzou em direção à área. Neneca não segurou a bola e Maycon, que vinha de trás, só teve o trabalho de empurrar para o gol vazio e selar a vitória do Timão.

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO-SP 0 x 3 CORINTHIANS

Local: estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)
Data: 13 de março de 2016, domingo
Hora: 16h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral (SP)
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Luis Alexandre Nilsen (ambos de SP)
Público: 11.091 pagantes
Renda: R$ 548.850,00
Cartões amarelos: Danilo Bueno, Mirita (Botafogo)
Cartões vermelhos:

Gols: Felipe, aos 17 minutos do primeiro tempo; Danilo, aos três, e Maycon, aos 20 minutos do segundo tempo (Corinthians)

BOTAFOGO: Neneca, Daniel Borges, Caio Ruan, Mirita e Jussandro (Diego Pituca); Moradei, Rodrigo Thiesen, Allan Dias (Serginho) e Danilo Bueno; Diogo Campos e Alemão (Nunes)
Técnico: Márcio Fernandes

CORINTHIANS: Walter, Edilson, Felipe, Balbuena e Uendel; Willians, Maycon, Guilherme (Alan Mineiro), Giovanni Augusto (Lucca) e Danilo; Luciano (Ángel Romero)
Técnico: Tite


Fonte: Gazeta Esportiva

Veja Também